08.09.2021

Congresso Feminino de 2021 – Parte 1

Pe. Bernd Biberger
Juli 2021, Anbetungskirche, Berg Schönstatt

Sem as mulheres, Schoenstatt não seria o que é

 

No dia 8 de dezembro, fez 100 anos que as primeiras mulheres selaram a Aliança de Amor com a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt. Desde então, a coluna feminina tem sido uma parte essencial do Movimento Apostólico de Schoenstatt. A expansão de Schoenstatt em todo o mundo deve-se também ao empenho de inúmeras mulheres, que deram testemunho da Aliança de Amor com palavras e atos, e levaram a mensagem de Schoenstatt para tantas pessoas. Sem estas mulheres, quer sejam as celibatárias ou casadas, quer vivam em comunidade, no meio do mundo ou na família, quer se dediquem com exclusividade ao trabalho de Movimento ou atuem em uma profissão na sociedade ou na própria família que escolheu um lugar central de seu apostolado… Sem essas mulheres, Schoenstatt não seria o que é hoje.

100 anos – perfis de 100 mulheres

No decorrer da celebração, no ano passado, foi feito um site com depoimentos de 100 mulheres, de diferentes comunidades e grupos e de diferentes situações de vida. 100 mulheres – os perfis de 100 mulheres revelam o que significa ser mulher hoje. Cada uma dessas mulheres dá um testemunho original da importância da contribuição feminina para a criação de uma sociedade, na qual vale a pena viver, na criação de uma Igreja que dá respostas às perguntas atuais, uma grande ajuda para que o desenvolvimento de um Movimento de Schoenstatt se tornasse para muitos um lar espiritual. Cada uma dessas mulheres testemunha como a Aliança de Amor com a Mãe de Deus a educa em seu ser feminino. Cada um destes testemunhos é uma das peças do mosaico que, juntos, apresentam a imagem viva da mulher em Schoenstatt e, todas juntas fazer reluzir a imagem da Mãe de Deus, como grande exemplo para a mulher atual, que vive e atua, segundo os valores cristãos.

A celebração desses 100 anos da presença feminista em Schoenstatt deveria ser finalizada em um Congresso de Mulheres, no ano passado. Mas, por causa da crise da Corona, o congresso não pôde acontecer. Então, em vez de um congresso central, estão acontecendo eventos regionais, nos quais se aborda o tema planejado para o congresso. Ontem e hoje, mulheres de nossa região são as convidadas para estarem aqui em Schoenstatt.

Das profundezas da própria personalidade

É importante que todo trabalho aconteça a partir de dentro. Se vier de dentro, ou seja, do coração, da própria raiz da alma, então pode se tornar frutífero. Uma atividade que não acontece de dentro permanece na superfície e não dá frutos. Uma ação que vem de dentro, isto é, do fundo da própria personalidade, torna-se frutífera precisamente porque coloco algo de mim mesmo nesta ação. Para poder me mover, a partir de dentro, devo ir mais fundo, para minhas próprias raízes, descobrir minhas fontes, devo, acima de tudo, me esforçar para formar e fortalecer minha própria personalidade, para que possa amadurecer. Uma grande ajuda para isso é a Aliança de Amor. A Mãe de Deus não é apenas um modelo para nós, como humanidade, e para as mulheres em seu ser feminino. Mas, ela é também a grande educadora que contribui, na Aliança de Amor, para que o núcleo da personalidade que Deus colocou em nós possa se desenvolver. A Aliança de Amor nos ajuda a entrar em contato conosco mesmos, permitindo que sejamos tocados por Deus. A interioridade, que torna nosso trabalho frutífero, cresce a partir do vínculo com Deus, porque nos é permitido ser completamente nós mesmos diante d’Ele.

(continuação em 12 de Setembro de 2021)

Link: 100 histórias de mulheres