15.12.2020

Para a vida diária … 12

de Ir. M. Renata Zürrlein

 

“O mesmo sol brilha em toda parte, mas seus raios têm um efeito especial em certos lugares. Pense por exemplo em centros de tratamento da saúde.

O mesmo acontece com a Mãe de Deus. De maneira genuinamente humano-maternal, ela quer estar próxima do mundo e escolhe seus lugares favoritos. É como reservar um espaço especial em nossa casa, onde são dialogados sobre assuntos confidenciais e celebradas as festas.

Em certos lugares – chamados lugares de graças ou de peregrinação, devido ao afluxo de pessoas – Ela revela, de forma extraordinária, o seu poder, sabedoria e bondade, por meio de milagres e graças especiais.”

Pe. José Kentenich, 1951,
em “O Mistério de Schoenstatt”


Reflexão

Em uma conferência, em Schoenstatt, 50 mulheres foram confrontadas com a pergunta se todas elas cabiam no Santuário Original. A resposta a esta pergunta é dada quando começa a chover. Com a ajuda de banquinhos, as 50 couberam dentro do Santuário.

O sacerdote presente interpreta a situação sob o ponto de vista da Mãe de Deus: Toda mãe fica feliz quando tem seus filhos ao seu redor. Maria fica feliz quando estamos com ela no santuário. Aqui ela gostaria de nos dar um presente. Aqui é o nosso “lugar especial”, e podemos no sentir em casa.


Eu creio que o santuário é um lugar de graças, onde o céu toca a terra de uma maneira especial?

Abro-me às graças que ali me são oferecidas?