27.06.2020

CARITAS – UM PEDAÇO DE CÉU NA TERRA

de Ir. M. Joanna Bartyś / Polônia

De 3 a 31 de maio de 2020, a

irmã M. Joanna Bartyś

trabalhou como voluntária no 2º departamento da unidade de saúde e assistência, administrada pela Caritas da Arquidiocese de Varsóvia. A doença da Covid 19 afetou os pacientes e grande parte da equipe da instituição. Nesta situação, a gerência da instalação solicitou ajuda voluntária às comunidades consagradas. Nossa irmã M. Joanna fazia parte do grupo de irmãs e irmãos de diferentes comunidades que aceitaram esse desafio. Depois de terminar essa tarefa, ela passou pelo período de quarentena e fez os exames obrigatórios. Então ela poderia voltar para a nossa comunidade em Otwock. Ela conta suas experiências desde então:

Nossa vida humana está cheia de diferentes eventos, situações, encontros, conversas. A maioria são os eventos que ocorrem naturalmente em nossas vidas cotidianas, aos quais geralmente não damos grande importância, porque os tomamos como óbvios. No entanto, sabemos muito bem que, se pararmos para olhar mais profundamente os eventos da vida em busca de traços da presença divina, poderemos descobrir a saudação de Deus que confirma nosso caminho e nos encoraja a cumprir sua vontade.

AMOR SERVIÇO aos enfermos

Com uma convicção tão interior, que não resultou de uma certeza, mas da confiança em Deus, parti no ‘domingo do Bom Pastor’, para AMAR os enfermos nas instalações de saúde e cuidados das CARITAS da Arquidiocese de Varsóvia. Meu serviço voluntário de atendimento aos doentes coincidiu com os momentos difíceis em que os pacientes e uma grande parte da equipe foram infectados pelo vírus da Covid 19.

Pacientes que lutam contra a própria incapacidade e a dor física há muito tempo foram confrontados com sofrimento adicional durante esse período. Eles experimentaram a necessidade de vários meses de isolamento de parentes, a suspensão de suas medidas de reabilitação e a falta de um sacerdote em suas instalações. Tal situação só pode ser suportada – com paz no coração – para pessoas que acreditam profundamente, que sabem que o sofrimento é um CAMINHO para o objetivo e a morte é um portão para ele!

Mas para as pessoas que perderam essa perspectiva do céu anos atrás, e ainda mais para as que ainda não aceitaram a verdade, a vida cotidiana nessas circunstâncias se tornou sombria, sem consolo e até sem esperança.

Animando o desejo das pessoas com a luz de Cristo

Nosso ministério fraternal – éramos pessoas consagradas de diferentes comunidades, representamos diferentes carismas, que rapidamente criaram uma comunidade da missão unida -, além de todo o trabalho de cuidado necessário, sobretudo esse objetivo, o grande desejo de iluminar estas pessoas com a luz de Cristo. Somente Deus sabe o que aconteceu neste tempo nos corações das pessoas, que nos foram confiadas pela providência divina. Mas os olhos brilhantes dos pacientes, a alegria profunda e real indicam que Deus nos queria lá e estava presente em nosso ministério. Ao se despedir de uma mulher que costumava ser muito “descrente”, surgiram as palavras: “Irmã, até nos encontrarmos naquele lugar do qual se diz ‘olho nenhum viu e ouvido nenhum ouviu …”

Comunidade no Espírito Santo

Um dos maravilhosos leigos com quem trabalhamos disse que uma comunidade tão bonita só poderia ser criada pelo Espírito Santo: uma comunidade de pessoas que não se conheciam, de diferentes idades, de diferentes ordens religiosas, de diferentes partes da Polônia e até de outros países passaram a prestar diversos serviços – do médico ao serviço de enfermagem, ao serviço de pedidos e desinfecção!

“Nosso Deus está próximo e nos pede para estarmos próximos; para não nos separar. (…) Podemos não ser capazes de nos aproximarmos fisicamente por medo de infecção, mas podemos despertar uma atitude de proximidade mútua dentro de nós. É possível – com oração, com ajuda, com muitos tipos de proximidade ”. Essas palavras do Papa Francisco, que ele falou no início da pandemia, refletem muito bem minha experiência pessoal: a proximidade de minhas irmãs e muitas outras pessoas que me acompanham e a todos a quem fui enviada.

Essa proximidade espiritual na oração, no sacrifício … me deu força. Gostaria de expressar meus sinceros agradecimentos pela unidade espiritual na COMUNIDADE cumprida com todos os que se comprometeram – em meu nome e em nome de todos os funcionários e pacientes!