25.02.2020

20 minutos, sem escalas, ao redor do globo

de Ir. Mariett Heuking

Quem é o Padre Kentenich para as pessoas do mundo inteiro?

Só 20 minutos para responder a esta pergunta:

Naturalmente, não são os minutos, mas sim as jovens Irmãs de Maria que nesta tarde vieram à Schoenstatt-Au que devem responder. Como em cada dia 15, é celebrada a santa missas nas intenções confiadas ao Pe. Kentenich. Hoje, os participantes são convidados a fazerem antes uma viagem especial e sem escala ao redor do globo. O interesse é despertado pela pergunta:

Quem é o Pe. Kentenich, não somente para nós, mas também para as pessoas nos outros continentes?

Na igreja, bastante cheia, se faz silêncio quando Ir. Maria Lupiañez, da Argentina, se dirige ao microfone. Seu testemunho, que apresenta em alemão, sua comoção e alegria visíveis tocam os corações. Seguem alguns breves aspectos:

–  O Pe. Kentenich é UM CAMINHO. Nesse caminho, Deus me atraiu ao seu coração paternal e me mostrou a grandeza do seu amor por mim.

–  Ele é UM TRANSPARENTE do amor e da misericórdia de Deus, que durante toda a vida transmitiu aos outros e que até hoje transmite também a mim, aqui e agora, neste lugar, no meio de nós.

–  Ele é um INSTRUMENTO nas mãos de Deus. Por meio dele, a mensagem da Aliança de Amor com Maria se torna mais real e mais concreta …

–  Ele é um PROFETA, com uma missão, que responde ao nosso tempo responde as perguntas sobre o mais profundo e íntimo do amor: amar verdadeiramente, amar como filhos mesmo sendo adultos…

Depois do início na América, vamos diretamente para uma escala na Austrália. Aguardamos com expectativa o testemunho de Ir. M. Julie Brcar, de Sydney.

Lamentavelmente, o Pe Kentenich, durante a sua vida, não visitou a Austrália. Quando em 1967, uma irmã missionária lhe perguntou: “Quando viajará à Austrália?” Ele respondeu espontaneamente: “Do céu!”

Esta é a minha vivência central com o Pe. Kentenich e a experiência de muitos dos que, na Austrália, pertencem ao Movimento de Schoenstatt e peregrinam aos Santuários. É uma experiência que dá testemunho da realidade sobrenatural. Se temos essa vivência com um “santo”, não podemos duvidar de que existe um Deus e uma Mãe celestial que cuidam pessoalmente de nós. Do céu vivenciamos Padre Kentenich como pai espiritual. Sobretudo aos que na sua vida não tiveram um pai ou não tiveram um pai tão ideal, uma paternidade espiritual representa uma experiência de cura.

 

Ir. M. Rubini Joseph, da Índia, nos conduz à Ásia. Seu conhecimento da língua alemã já lhe permite falar espontaneamente algumas palavras. Com um sorriso radiante, ela nos comunica sua alegria: seu pai biológico chama-se José. Como também o Pe. Kentenich se chama José, ela entrou rápida e facilmente numa relação com ele como pai espiritual…

E o que se passa na África? Ir. M. Bonnie Robbins, que trabalha aqui em Borken, na Escola de Maria, nos dá um testemunho que nos toca profundamente e desperta nova confiança em Deus. Eis alguns trechos:

Na África do Sul, estamos muito gratas porque o Padre Kentenich, já em 1933, apenas sete anos depois da fundação da Família das Irmãs, já ter tido a coragem de enviar o primeiro grupo de Irmãs, como missionárias, para a África do Sul. Ele o fez confiando totalmente na Providência divina. Assim gravou no coração das irmãs:

“Vão e confiem sempre no Mater habebit curam!”

Ou seja: A Mãe vai cuidar. Esta frase não é apenas um aceno, mas expressa sua inabalável confiança em Maria; sua missão de conduzir as pessoas, que vivem em meio a grandes dificuldades, à convicção de fé: confiem sempre em que a Mãe vai cuidar!

Quer nos difíceis anos da edificação, quer nos decênios marcados pelo apartheid e a instabilidade política, as três letras MHC foram sempre uma âncora de esperança e salvação em todas as aflições e ao mesmo tempo também missão, estrela condutora e motivo de coragem em vista de uma atuação missionária fecunda.

Hoje, são muitas as pessoas – jovens e idosas, ricas ou pobres, das mais diversas origens culturais ou confissões religiosas – que vêm aos três santuários de Schoenstatt, na Cidade do Cabo. Trazem seus pedidos e preocupações e os confiam à Mãe de Deus, porque podem experimentar: MHC – a Mãe vai cuidar!

“Apenas 20 minutos” segreda uma senhora à sua vizinha: “Como a imagem do Pe. Kentenich nos foi transmitida de modo vital!” E a vizinha responde no mesmo tom: “Eu nem sabia que ele é conhecido no mundo inteiro. Mas estes 20 minutos me convenceram: o Pe. Kentenich é realmente um santo para o mundo inteiro!”