19.12.2019

Elas mantém o céu aberto para nós

de Irmã M. Andrea Lisdat

Despedida das Irmãs de Maria

As Irmãs de Maria de Schoenstatt que desde 1936, há 80 anos, atuavam na Clínica Bosse, em Lutero, Wittenberg, na Alemaha, tiveram uma solene despedida.

Foto: Pohl / Quelle kath.web

Irmã M. Godehild Schuchardt (3ª à esquerda) trabalhou durante mais de 50 anos nesta Clínica. Agora, com 85 anos, retorna a Friedrichroda e está feliz em poder viver ali com sua comunidade.

O Bispo agradece e louva a atuação das Irmãs

Disse o Bispo de Magdeburg, Dom Gerhard Feige: “Queridas Irmãs, ‘as senhoras são a minha promessa para o mundo’, assim o Pe. José Kentenich se expressou, em uma ocasião. As senhoras cumpriram esta promessa, com as pequenas ‘moedas’ do dia a dia e deixam aqui uma lacuna que jamais será preenchida, um vazio que indica a Deus que as snehoras anunciaram pelo serviço às pessoas. Agradeço, de todo o coração, por essa missão que realizaram! Que Deus as recompensem por todo bem que aqui fizeram – e que Ele continue as abençoando.”

Tempos e situações difíceis

Ir. M. Marisa Spickers, superiora provincial, diz: “A decisão desta despedida não foi nada fácil para nós. Mas, não queremos ter apenas tristezas com algo que termina, porém, ser gratas pelo que conseguimos realizar. Já em 1936, quando nossa comunidade existia por dez anos, foi muito importante para o nosso fundador, Pe. José Kentenich, que nosso Instituto realizasse esse trabalho, nas áreas da Psicologia e Neurologia, justamente durante o difícil tempo do Nacional Socialismo. Recebemos muito apoio da diretoria, dos médicos, da Igreja, dos voluntários, da Cáritas etc. Somos gratas, especialmente, a Deus e a nossa Mãe, Maria. Sempre fomos conduzidas pela graça de Deus – mesmo em situações difíceis. Muito nos alegra que a imagem de Maria, que foi entronizada na recepção do Hospital, permanecerá ali. Daqui ela vai continuar olhando e abençoando a todos os que entram e saem desta casa.”