07.12.2019

Sobe mais para o alto!

de Ir. M. Márcia Carmo Silva

“Nasci para algo maior, para um dia também me tornar uma filha Imaculada”.[1]

“Para Deus nada é impossível”.[2] Estas palavras definem a história da Virgem de Nazaré, que, em previsão dos méritos de sua maternidade divina, passa pelo mundo sem a mancha do pecado original.

Maria pertence inteiramente a Deus, seu coração está imerso no “poder do Altíssimo que a cobriu com sua sombra”.[3] Nosso Fundador, Pe. José Kentenich, diz: “É uma grande felicidade, um consolo para o coração humano, saber que existe, ao menos um ser puramente humano, o qual na ordem do mundo atual, passou por esta terra bem puro e intangível, em perfeita incolumidade: a Mãe de Deus”.[4]

Ela é modelo para nós!

A solenidade da Imaculada coloca diante de nós a nova mulher, que dourada pela graça divina torna-se ostensório vivo de Cristo. Ela é o modelo daqueles que, em liberdade, buscam viver na presença de Deus. Para seguir o exemplo de Maria é preciso buscar a coerência entre nossas atitudes e a fé que professamos. Por isso nos perguntemos:

O que veem os olhos que são consagrados a Deus? O que escutam os ouvidos que pertencem a Deus? Minhas atitudes douram o ostensório coração, que recebe Jesus eucarístico, ou empalidecem o brilho deste ouro? O Pe. José Kentenich ensina: “Quem quiser concretizar os traços da Imaculada em sua vida, há de viver, constantemente, na presença de Deus”.[5]

Rezemos com o Pe. Kentenich:

O brilho da Imaculada nos impulsiona a levar uma vida pura em meio ao lamaçal do mundo. Com o Pe. José Kentenich suplicamos: “Torna-me imaculada no pequeno, livra-me não somente do pecado e de minhas más inclinações, mas também, da desordem de minha vida instintiva, tanto quanto possível aqui na terra”.[6]

“Imaculada, protege teus filhos! Em ti não há mácula do pecado original! És mais pura que a neve cadente, mais pura que a veste mais alvas! Desperta na minha alma a profunda saudade do espírito da Imaculada, e faze que ela se eleve ao céu como chama sagrada”![7]

[1] KENTENICH, José. Eu saúdo os lírios: Palestras do Pai e Fundador para a Juventude Feminina de Schoenstatt no Brasil. 1º ed. Santa Maria: 2014
[2] Lc 1, 37
[3] Conforme Lc 1, 35
[4] KENTENICH, José. Riqueza do ser puro. 3º ed. Santa Maria: 2001
[5] Idem.
[6] Ibidem
[7] Idem p. 52