13.09.2019

A senhoras estão próximas das pessoas

de Patricia Hobi, Mels, Schweiz

Uma jornalista passa um día com as Irmãs de María de Schoenstatt

Síntese do artigo de Patricia Hobi, Mels, Suiça

(2a parte)

Uma vida para Deus e para e próximo: no “Centro Novo Schoenstatt”, em Quarten, moram 28 Irmãs de Maria de Schoenstatt. Uma visita ali me me mostra como elas vivem.

Quinta-Feira

Geralmente, não me levanto antes das 7 horas. Mas, o horário das Irmãs de María é diferente. Elas se levantam pouco antes das 6 e vão ao Santuário. O novo dia começa como terminou o anterior: com uma oração. De novo, uma Irmã reza uma estrofe e as demais continuam, “em coro”, com o texto seguinte. Depois da oração da manhã, cada uma reza pessoalmente mais 30 minutos. Às 7h30min há a santa missa e outras pessoas – talvez  hóspedes do hotel – participam com alegria com as Irmãs.

Um acampamento de férias com o tema: O garimpeiro

Pouco depois das 8 horas, o pároco nos envía em paz e eu sinto como se já tivesse feito muitas coisas neste dia – mas, nem sequer tomei o café da manhã. Agora sinto fome e por sorte me encontro, já na saída, com a Irmã M. Monia Schnider. Tomo o café com ela e com as famílias que estão participando do acampamento das férias. O tema do acampamento é: “o garimpeiro”. Ele se realiza todos os anos. Esta é a sétima vez que Ir. Monia e hoje eles irão para Unterterzen, nadar no lago.

Preparar juntas os arranjos de flores

A minha próxima estação é com a Irmã M. Antonia Stanek, num recinto repleto de flores, vasos e material de decoração. Ela veio da Polônia, há 18 anos é Irmã de Maria e está em Quarten há 6 anos. Como sacristã se cuida da decoração das capelas no Novo Schoenstatt. Juntas preparamos os arranjos de flores. Junto com as Gladíolas vermelhas e lírios amarelos juntamos algumas folhas verdes. Irmã M. Antonia tem muitas experiências nesta tarefa e eu nenhuma, o que logo se nota no arranjo preparado por mim. Contudo, ela valoriza o meu trabalho e, na verdade, até eu gostei. Levamos nossos arranjos florais à capela e os cloacmos ao lado do tabernáculo. As flores ainda estão fechadas, mas logo se abrirão e encherã de beleza a capela.

“A caminho para ti”

Pouco antes do almoço, ela me acompanha até a Ir. Ursula-Maria Bitterli, que me apresenta o projeto “A camino para ti”: uma imagen de María que visita as famílias. Quem iniciou este projeto foi o brasileiro João Luiz Pozzobon. Há mais de 300.000 imagens peregrinas à caminho em 120 países e, quase 900, na Suiça e em Liechtenstein. Antes do almoço, as Irmãs de María rezam por mais meia hora.

Conversa animada e escuta atenta

Às 13 horas, é o almoço, hoje ao ar livre. Uma Irmã está na churrasqueira e as outras pessoas estão nos bancos ao redor. Reina uma atmosfera de alegría. As Irmãs conversam, uma toca violão e as outras cantam. Cantar juntas é algo que que lhes causa alegría. Depois do sorvete, elas querem saber o que faço em minha profissão e porque estou aquí. Sentamo-nos em círculo, as Irmãs me escutam atentamente e me fazem perguntas. Um mundo um pouco diferente.

Fotos dos pais com os bebês

Minha última estação é com Ir. M. Joseline Becchio que, como Irmã do Movimento, tem responsabilidade pelas famílias e organiza seminários para famílias e casais. Na parede de sua sala há fotos de pais com seus bebês recém nascidos, sorrindo para a câmara. E, mais uma vez, noto porque as Irmãs acentuam que não estão isoladas num  convento mas que pertencem a um Instituto Secular. Estão próximas das pessoas e querem doar algo para elas.

Às 16 horas, me despeço e retorno à redação. Creio que mesmo com minha vida muito diferente da vida das Irmãs, sem dúvida, temos muitas coisas em comum. Todas temos nossos valores e convicções, tomamos nossas decisões, com todas as suas consequências e com a esperança de sermos felizes.