29.04.2019

E para que ardes tu?

de Ir. M. Annjetta Hirscher

A alegre roda familiar pode ser simbolizada numa sarça ardente.

“Vocês são o Hoje – Vocês são o agora!”

Essas palavras do Papa Francisco, na jornada mundial da Juventude no Panamá, é o tema para encontros de formação para as Irmãs de Maria, em nossas casas, nas últimas semanas. As diferentes gerações se encontraram e refletiram como podemos, em nosso tempo, realizar a nossa missão.

E para que ardes tu?

“E para que ardes tu?” era a pergunta de saudação para quem chegava, para um alegre encontro com cantos e jogos! No decorrer da noite, muitas chamas com letras foram colocadas junto a diversas frases. No final, via-se uma sarça ardente.

A citação do Papa Francisco nos inflamou novamente na vocação e missão e foi a culminância desta noite:

“Será isto o que vos motivará a levantar de manhã e vos impulsionará nos momentos difíceis, o que vos rasgará o coração e com admiração, alegria e gratidão vos encherá. Sentem, ter uma missão e se apaixonar por ela, e tudo dependerá disso”. 27.01.2019

Como Maria – se ela vivesse hoje.

O tema de estudo foi: Lidar com as mídias digitais.

À pergunta feita pelas “externas”, Irmãs que vivem sozinhas no meio do mundo realizando suas tarefas numa profissão – sobre como devemos viver, o Padre José Kentenich respondeu, em 1966: “Como Maria! Como se ela vivesse hoje.”   

Assim, nos ocupamos com a pergunta: Como usar os modernos meios de comunicação, para anunciar o Evangelho e nossa missão? É nosso anseio dominar as mídias e não que elas nos dominem. Em resposta, teve uma chuva de relatos de experiências compartilhadas, sobre o uso das mídias digitais e boas dicas que nos ajudam a lidar com estes meios, conservando a nossa vocação e nosso estilo virginal de vida.

O significado dos “tempos offline” se tornaram ainda mais importantes para nós, porque são tempos em que cultivamos, mais intensamente, o nosso contato com Deus e com isso cultivamos a nossa vocação. Afinal, a fidelidade de cada vocação depende do cultivo do primeiro amor.

Tempos em que não estamos disponíveis: Algo muito prático!

O tempo “offline” – melhor ainda – o tempo para Deus e para mim, concretizou-se num tempo de oração, na Igreja da Coroação ou no Santuário, dependendo do grupo. Foi bom entregar tudo a Deus, o que nos move aqui e agora.