22.03.2019

Tesouros da Igreja

de Irmã M. Glynis Kirchoffer

Dia de encontro para doentes, idosos e deficientes

SCHOENSTATT, CONSTÂNTIA

Desde o início dos anos 70, que a nossa Família de Schoenstatt faz o convite para um “dia dos doentes”

Este dia realiza-se já há 45 anos em Schoenstatt, Constância, África do Sul. Entretanto, o convite foi alargado para todas as pessoas da arquidiocese. Kapstadt,. Quem quiser participar, pode vir. A nossa Mãe e Rainha Três Vezes de Schoenstatt conhece todos pelo nome e recebe-os com grande Amor. São os Seus filhos prediletos! A seguir um relatório sobre o „Dia dos doentes“, em 17 de Fevereiro de 2019.

Tesouros da Igreja

O tempo em Schoenstatt, Constância, estava maravilhoso! A atmosfera ainda se tornou mais alegre quando mais ou menos 230 doentes, idosos e deficientes, mulheres e homens, encheram a Sala para festejar o seu Dia especial.   Segundo o Padre José Kentenich, estas pessoas são os Tesouros da Igreja, os “Pára-raios da Graça”. Através do seu sofrimento, atraem a bênção de Deus sobre a Igreja e o mundo. Apesar das dores, cegueira, mudez, doenças incuráveis e incapacidade motora, rostos sorridentes saúdam-se mutuamente, na esperança de serem também saudados cordialmente! Vieram membros da Comunidade de Schoenstatt para ajudar e contribuir para que o dia decorresse sem problemas. Cumprimentavam todos os doentes que vinham chegando, registavam-nos para o almoço, vendiam terços e outros objetos piedosos. Um membro da Família de Schoenstatt acompanhava musicalmente a Santa Missa, outro tirava fotos, para reter a atmosfera do dia. Muitos Schoenstattianos ajudavam generosamente onde era preciso. Ouviam-se comentários de como pareciam jovens as Irmãs que, no palco, subiam e desciam como que “a voar”. Os Colaboradores do Centro comprovaram-se como excelentes; depois da Santa Missa cuidaram que houvesse um almoço substancioso e muito saboroso.

Proteger-se e apoiar-se mutuamente

A Irmã Glynis fez uma conferência baseada nas palavras do Padre Kentenich à comunidade das Irmãs:

“Protejam-se e apoiem-se mutuamente”. Ele disse estas palavras no final da única visita à África do Sul no anos de 1948. Com uma história, ela mostrou como a nossa vida está ligada à vida dos outros e vice-versa. Aplicou esta realidade a nós. Como Cristãos, somos responsáveis uns pelos outros. Ainda que tenhamos alguns problemas e sofrimentos, somos encorajados a carregar os sofrimentos dos outros. “A maneira como vivemos e atuamos, contribui para que muitos caiam ou se levantem.” (Palavras do Padre Kentenich na Prisão). Através da Oração e do carregar a nossa parte nos sofrimentos de Cristo, podemos apoiar e ajudar os outros a diminuir o peso da parte que lhe cabe na Cruz. No tempo de hoje há poucos indícios de pessoas, países e comunidades se apoiem e se protejam mutuamente. Também nós, por vezes, estamos tão enredados no nosso próprio pequeno mundo. Frequentemente não conseguimos alcançar os outros na oração, sim, nem os criminosos que precisam do nosso apoio orante.Não conhecemos os motivos das suas ações, mas o Senhor, sim! Eles são todos nossos irmãos e Irmãs!

Também é evidente que temos de rezar pelas vítimas e suas famílias. Em contraste com Caim, que disse a Deus que não era protetor do seu irmão, nós somos responsáveis uns pelos outros. .Deveríamos proteger e apoiar cada pessoa por quem Cristo morreu . Maria permaneceu fiel ao seu Filho Crucificado e, pelo seu intenso sofrimento, tornou-se nossa Mãe. Também nós somos convidados a carregar a parte que nos cabe na Cruz, para que demos ricos frutos pela Redenção das almas. Isto só acontecerá, quando reconhecermos que todos estamos unidos uns aos outros, dependentes uns dos outros.

O Padre Kentenich, através do seu exemplo e dos ensinamentos ilustrados na sua própria vida,  mostrou-nos como podemos tornar-nos discípulos de Cristo livres e felizes, que aprendem a contemplar a Cruz como   o maior Tesouro .

Participar na Santa Missa

A Santa Missa foi celebrada pelo Padre Peter-John Pearson, que tem o dom de abranger toda a atmosfera do dia e de dar toda a atenção à comunidade. A sua homilia convenceu os seus ouvintes de que, qualquer que seja a situação em que se encontrem, Deus é sempre maior do que a sua dor e angústia, a sua solidão ou tudo o que os possa sobrecarregar.  Encorajou-os a ser como Caleb, conforme lemos no Livro dos Números. Embora os Israelitas fossem pequenos em número e estatura, Caleb estava convicto de que, porque Deus estava do seu lado, poderiam vencer os “gigantes” que ele e outros tinham visto na terra prometida. Padre Kentenich encoraja-nos a ser como Caleb, a estar sempre mais convictos de que Deus está do nosso lado e é maior do que cada do que cada diagnose gigante de dor, medo, solidão, angústia ou outras formas de sofrimento. Padre Peter-John terminou com estas palavras:

„Deus é sempre maior que o Gigante em ti“.

O “Amen”, que soou bem alto, testemunhou que as suas palavras tinham atingido os corações da assembleia.

Imediatamente depois da Santa Missa, o Padre Pedro John e o Padre Emanuel, Pároco de Wynber, andaram por entre as filas de pessoas, para lhes administrar a Unção dos Enfermos. Uma música de fundo soava baixinho, criando uma atmosfera de oração e de alegre gratidão. O mesmo Senhor que durante a Sua vida terrena curou tantas pessoas, estava sensivelmente presente no meio de nós.

Compartilhar os talentos

Depois foi o almoço! Enquanto que algumas pessoas tinham trazido o seu farnel, a maioria sentou-se à mesa para um almoço bem preparado e saboroso. Em cada mesa havia uma grande soma de coisas boas. Sem dúvida que foram discutidas com alegria as diversas modalidades de „Gigantes“ que trazemos connosco; como nos dizia o Padre Peter-John; a força de Deus e a Sua Presença na nossa vida, é muito maior que cada gigante com que temos de lutar na nossa vida.

Algumas pessoas voltaram para casa, para fazer a sesta, enquanto outro grupo visitou a Mãe de Deus no Seu Santuário lindamente enfeitado. Por fim, todos os participantes se encontraram de novo no Salão para um pequeno programa de entretenimento. Foi um prazer apreciar o talento de um jovem que é o “beat boxer”[1] nº 1 da África do sul, sobrinho de Jean e Ralph, um conhecido casal Schoenstattiano.

Apesar dos bravos esforços, nenhum de nós conseguiu imitar os movimentos habilidosos da boca e da garganta, que produziam os sons mais invulgares, algo como uma grande orquestra. Bem-hajas, Seth, por nos teres oferecido esta alegria! Esperamos ver-te de novo e desejamos-te um bom futuro!

Mais uma, vez, Deus e a Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt com o nosso Fundador Padre José Kentenich se glorificaram, com a ajuda de muitos voluntários e colaboradores assim como de todos os que tomaram parte neste dia. Que Deus abençoe a todos, especialmente aqueles que com a sua oração, sofrimento e sacrifícios apoiaram este dia. Sim, nós somos responsáveis uns pelos outros, estamos todos de unidos em Cristo e no coração da nossa Mãe. Alegremo-nos por esta bela verdade.