21.10.2018

A sua porta está sempre aberta

de Irmã Christina-Maria Greiner

“Padre Kentenich, quem tu és?”

Esta pergunta move muitas pessoas em busca dos vestígios do Fundador de Schoenstatt. O mistério de sua pessoa e missão, seu carisma paternal e sua pedagogia convidam para um encontro pessoal com ele. Antes e também hoje este caminho conduz muitas pessoas para a Casa de Formação, no Monte Schoenstatt.

A casa do Pai

Padre Kentenich viveu os três últimos anos de sua vida, desde o seu retorno do exílio, nesta casa. Entretanto, daqui ele dirigiu a sua grande e extensa Fundação internacional. É de se pasmar, que alguém que já ultrapassou os 80 anos de vida, tenha executado diariamente um tão intenso programa de trabalho. Quase sem interrupção, ele recebia visitas, ditava e escrevia cartas, elaborava conferências, ouvia confissões e dava palestras. Ao ser perguntado, por um visitante, se ele ainda encontrava tempo para rezar, respondeu Padre Kentenich: “Eu adoro continuamente Jesus no coração daqueles que chegam até mim.” Quem dele se aproximava, tinha a impressão que ele vinha diretamente de Deus. Dele se irradiava abrigo em Deus e serenidade. Ele introduzia os que se confiavam à sua condução espiritual, em sua vinculação com a Mãe de Deus e o Deus Trino. Em seu modo de ser cordial e humano, se podia experimentar a proximidade de Deus.

Lugar de encontro com o Pai

A Casa de Formação se tornou a “Casa do Pai”, um lugar de encontro com a paternidade do Padre Kentenich. Ele atraiu muitas pessoas, também de locais distantes de Schoenstatt: famílias, estudantes universitários, sacerdotes, bispos, jovens e adultos aí o visitavam. Eles buscavam os seus conselhos ou lhe confiavam as suas preocupações. Padre Kentenich presenteava a todos o seu benevolente interesse. Nele eles experimentavam um pai, que os aceitava e os compreendia, que se ocupava com total atenção, mesmo quando as aflições eram pequenas. Ele participava dos seus cuidados, alegrava-se com todos e sabia rir de coração com eles.

Um professor chileno conta sobre o seu encontro com o Padre Kentenich:
“Ele era um modelo de autêntica humanidade e de genuína naturalidade  (…) em 1966, quando eu e P. H. o esperávamos, por alguns minutos na sala de visita, impacientes e esperançosos que alguém nos levasse até ele, repentinamente, para a nossa surpresa, ele mesmo se apresenta. Sorridente, com as mãos estendidas ele chegou para nos saudar cordialmente. Ele era todo paternidade. Junto dele, a gente se sentia abrigado. Eu pensei, então, que seria apenas um breve encontro, pois ele estava cansado, após um dia de trabalho repleto de muitas tarefas e responsabilidades. Porém, durou muito mais do que havia previsto. … Antes de me despedir, ele foi para a sala visinha e trouxe alguns presentes. Terços, – “Isto é para a alma!” – e com as palavras: “Isto é para o corpo”, trouxe uma garrafa de vinho tinto. Tiramos fotos, ele nos acompanhou até a porta e nos despedimos. Ele permaneceu ali abanando as mãos até que nos distanciamos.”

Ele não partiu

O Pai celeste chamou, no dia 15 de setembro de 1968, o Padre Kentenich ao lar eterno. Logo após ter celebrado a sua primeira missa, na Igreja da Santíssima Trindade, no Monte Schoenstatt, Pe. Kentenich faleceu silenciosa e singelamente. Contudo, desde logo depois de sua morte, inumeráveis pessoas visitam o seu túmulo e dizem: “Ele não partiu”. Ele continua a dirigir a sua Obra, a partir do céu. Permanece o Pai de numerosas pessoas, de muitas nações, que a ele se dirigem com seus anseios e cuidados. Ele permanece próximo delas com sua bênção. Quem entra em contato com ele, pode encontrá-lo de um modo novo e vivenciar isto, hoje, espiritualmente, também na “Casa do Pai”. Nesse local se torna pode-se perceber a sua proximidade: na sua moradia, nas salas de visitas, na Capela da Casa, no jardim, no “famoso local” logo abaixo de sua janela, de onde ele presenteava doces surpresas, no Santuário, ao lado da casa e outros locais que convidam à oração e ao Encontro com o Pe. Kentenich. Diariamente, as visitas constantes de grupos de peregrinos e membros dos grupos do Movimento indicam que também hoje Padre Kentenich continuar a ter muito trabalho. Ele está aqui para cada pessoa que deseja encontrar-se com ele.

Video

“Padre Kentenich, que tu és?” O próprio Fundador de Schoenstatt pode responder essa pergunta. Para isso, o convida para um Encontro com ele na “Casa do Pai”. Como antes, também hoje a sua porta está sempre aberta:

Seja bem vindo!