29.06.2018

Uma hora diante do Senhor

de Ir. M. Linda Wegerere Ir. M. Tabea Platzer, Schoenstastt

A idéia que tínhamos há muito tempo se tornou realidade no “Ano Kentenich”: oferecer em cada segundo sábado do mês, a partir das 19h30 mim, uma oportunidade das pessoas fazerem um momento adoração com textos preparados.

A Igreja da Adoração, na qual se encontra a sepultura do Fundador Padre Kentenich, é um bom local para isto.

Fazer silêncio

A iluminação especial na Igreja e o belo conjunto do altar são apropriados para tais momentos.  Revezam-se as músicas, com os textos de orações e silêncio. Tanto o ambiente externo como interno, com todo o conjunto, simplesmente convidam para isto.

As exigências e desafios do dia a dia, é claro que também os momentos de alegria, não devem ficar fora da porta, mas serem trazidos junto a Jesus Cristo, que está presente na custódia.  Junto dele tudo pode se acalmar,  diante dele tudo pode ser exposto.

Padre Kentenich diz : “Precisamos aprender de novo a repousar em Deus.”

Quem deseja, pode ir diante do altar, acender uma velinha e deste modo expressar as suas aflições. Por isso, alguns dão este passo e permanecem ali ainda por uns instantes em oração. Se alguns querem também se desabafar, podem aproveitar a oportunidade de conversar ou de se confessar com um sacerdote, que está ali presente.

Encontrar a Deus

O ambiente e as ações convidam realmente para um encontro com Deus, para falar bem pessoalmente com Ele.

Isto aconteceu com uma senhora que, por acaso, estava nesta noite na Igreja. Ela disse:  “A configuração das músicas era admirável! Eu consegui me concentrar tão bem e tudo me conduziu a uma profunda oração. Para mim foi uma vivência  (…) Eu queria apenas contemplar a Igreja, mas, fiquei até o fim e estava feliz”.

E outra: “Na verdade, eu esta bem cansada após um dia repleto de trabalho. Mas, eu já havia participado, algumas vezes, da ‘Hora diante do Senhor‘ e sabia que ela me faz muito bem. Por isso, eu me coloquei a caminho. – Já  na entrada da Igreja mudei a minha disposição interior. E no final consegui, de novo,  voltar fortalecida  para casa. Em mim não havia mais nenhum vestígio de cansaço.  A ‘Hora diante do Senhor’ despertou novas forças em mim.”