17.04.2018

“Eu sou uma Missão“

de Ir. M. Anrika Dold

De 23 a 25 de fevereiro, de 2018, pela terceira vez representantes de diferentes comunidades espirituais foram convidados a participar de um encontro para gerar vínculos, no seminário dos Padres em Fulda, com o objetivo de trocar experiências sobre o trabalho com a juventude, jovens adultos e fortalecer-se mutuamente.

Nós eramos 22 participantes de diferentes comunidades: por exemplo Emmanuel, Renovação Carismárica, Nightfever, Totus Tuus, Regnum Christi, Koinonia,  João Batista, Schoenstatt. Estavam presentes também novas iniciativas, como por exemplo dois grupos que têm sua fundação na Polônia, um grupo de oração Águia, a comunidade Luz, Vida ou a Comunidade Shalom, um movimento brasileiro, que existe há 35 anos. Durante todo o nosso encontro, fizemos adoração eucarística mesmo durante as sessões temáticas, bem como a noite.

Devoção Mariana moderna

Logo no início Paulo Metzlaff contou-nos algo interessante da entrevista coletiva de impressa sobre o sínodo da Juventude realizada uma semana antes. Os dois representantes alemães do pré-sínodo Thomas Adonie, Presidente Nacional da Associação da Juventude Católia e Magdalena Hartmann, schoentatteana, estavam junto. Magdalena foi questionada sobre o que torna a veneração a Maria tão atual nos dias hoje. Ela deu uma resposta pessoal muito bonita mostrando como Maria é para ela modelo, como ela a ajuda a unir a fé e a vida diária. Depois os jornalistas agradeceram a resposta: “Eu nunca ouvi ninguém falar assim tão bem sobre Maria como esta jovem“.

Meu coração arde por Maria

Na primeira noite cada um deveria se apresentar e dizer pelo que seu coração ardia. “Sou Ir. Anrika, Irmã de Maria de Schoenstatt, e meu coração arde por Maria” assim comecei. “E meu coração arde por isso, que Maria possa atuar na Igreja, pois onde ela está, atua o Espírito Santo, ela é o seu Vaso e seu instrumento“. A senhora que estava ao meu lado e pertence à comunidade Totus tuus, retomou o que eu dissera e afirmou que seu coração também pertencia a Maria. Ela comentou depois que era a primeira vez que estava neste círculo e não sabia se poderia falar sobre Maria, mas a resposta anterior a encorajou.

No outro dia ouvimos três palestras. A primeira foi sobre o tema do Sínodo da Juventude com Padre João Chagas da Comunidade Shalom. Ele trabalha em Roma no Dicastério para os Leigos, Família e a vida. Padre Alexandre Awi Mello é seu superior direto.

De Roma a Fulda

Padre Chagas disse que estava muito feliz por vir de Roma a Fulda. Sua palestra e a conversa com ele era em inglês, mas ele falava de uma maneira que se podia compreender. Suas palavras me impressionaram. O coração falou, disse alguém depois da palestra.

Padre Chagas falou entre outros, sobre a importância das comunidades espirituais para a pastoral da juventude. Elas são uma resposta do Espírito Santo diante da mudança de situação da Igreja. Pode-se ver que as novas iniciativas não deixam a Igreja morrer, mesmo quando as estatísticas mostrem isso. Mas nós devemos provar que isso não está certo.

A nova Evangelização parte dos “pobres em espírito” – é uma atitude profundamente mariana Ele chamou-nos atenção sobre os escritos do Papa Francisco em cada uma das Jornadas Mundiais da Juventude, incluindo as nacionais. São sempre trilogias: os três anos que antecederam a JMJ na Cracóvia girou em torno das bem aventuranças. Agora antes da jornada do Panamá os temas são sempre marianos. Valeria a pena segui-los.

Chamado a santidade e a evangelização

A próxima palestra do Bispo Genn de Münster foi mais uma conversa. Seu tema era: Chamados para santidade e para a evangelização. Primeiramente ele reuniu nossas perguntas sobre o assunto. Ele então respondeu na conversa e disse algumas coisas básicas, por exemplo que a santidade se mostraria no amor. Santos mostram-nos como ser cristão. Santidade significa: Permanecer no Senhor até ele voltar.

O terceiro palestrante foi o Jesuíta Clemens Blattert, que apresentou sua oficina do futuro. Os espaços das oficinas estão localizados no terreno do Colégio de Filosofia e Teologia São Geogen em Frankfurt em Main. Há alguns anos, o Padre Blattert tem oferecido aqui fins de semana, retiros e acompanhamento individuais para pessoas jovens. São de 7 a 8 lugares disponíveis e estão sempre preenchidos.

Experiências de melhores práticas

Em seguida houve um intercâmbio de experiências sobre as melhores práticas na pastoral da juventude em cada comunidade. O dia foi concluído com uma oração da noite muito tocante e o pedido da descida do Espírito Santo sobre cada uma das comunidades presentes.

Com uma santa missa no domingo na catedral de Fulda encerramos o nosso intercâmbio, nos despedimos mutuamente – conscientes de estar juntos no caminho e de acompanhar ativamente o processo do Sínodo da Juventude