29.03.2018

Anotações de uma visita

de Irmã María Julia Agüero Responsável pela Casa do Pai, junto ao Santuário Nacional da Argentina

A Casa do Pai é um local para se encontrar

com a pessoa, a missão e o carisma do Padre Kentenich. Ela foi inaugurada em outubro de 2015. Desde então, já passaram por ela quase 7000 pessoas de vários países (Alemanha, Bolívia, Brasil, Chile, EEUU, Equador, Espanha, Paraguai, Uruguai, Costa Rica, Porto Rico).

Neste ano do Pai, os Padres de Schoenstatt da Região del Plata, como marco de sua Jornada anual da Comunidade, quiseram ter como um dos pontos centrais, a visita ao Novo Schoenstatt e à Casa do Pai.

“No dia 15 de fevereiro um grupo dos Padres de Schoenstatt visitamos a Casa do Pai. Irmã M. Julia que nos recebeu no jardim, sorridente, começou imediatamente o itinerário conosco. Faz uma ótima impressão ver a casa tão bem restaurada por fora e por dentro. Os totens ou painéis, com as fotos no jardim, nos recordam os lugares onde esteve o nosso Pai e são muito sugestivos. Desde o início, nos dividimos em dois grupos.

Eu segui o grupo que acompanhava a Irmã Georgina. Gostei muito de ouvi-la e perceber a leveza com que falava do Pai, sem apresentar frases já preparadas. Notava-se que havia feito sua, uma história que ela mesma escutou e a qual incorporou em um momento de sua vida. Ela nos recordou as idas e vindas, para se poder comprar a casa, os esforços do Pai para ajudá-las, poupando dinheiro e doando-o a elas para construir o Santuário etc. Pelos caminhos floridos de casuarinas, fomos nos aproximando do cemitério. Vários de nós ficamos impressionados com a quantidade de sepulturas que havia, muitas delas de Irmãs muito apreciadas pelos Padres.

Após este percurso, voltamos à casa, onde nos estava esperando a Ir. Maria Julia. Ela nos convidou a visitar a casa, deixando-nos à vontade, para que cada Padre pudesse se deter naqueles momentos que mais lhe tocavam na alma.

Apreciei a combinação da multimídia que oferece a casa do Pai, realmente está excelente, com uma tecnologia do século XXI que assombra, apresenta tão bem a sua pessoa, como na época em que pôde aí estar. Os textos, cuidadosamente escolhidos, fotos desse tempo, objetos utilizados por nosso Fundador, a luz que destaca melhor o que está exposto, o fato de que as paredes são planas e apresentam de várias maneiras a informação, fazendo com que a gente não se canse ao ir observando as diversas etapas. Achei bem feita a linha do tempo.

A Ir. Maria Julia, delicadamente, estava sempre a disposição para responder possíveis perguntas e dúvidas e, além do mais, para estabelecer diálogos preciosos sobre opiniões e fatos acontecidos. Não se esqueceu de um copo de água, que faz muito bem ao peregrino que chega à casa do Pai, e de algumas balas que foram rapidamente consumidas pelos convidados.

A casa é maravilhosa, um lugar de encontro com sua história, um museu que quer manter vivo ao seus passos entre nós.

Parabéns a todos aqueles, que participaram na elaboração e realização deste belo projeto”.

Pe. JUAN JOSÉ RIBA