23.02.2018

Cada dia, um dia de graça

de Irmã M. Siglinde Hilser

Um olhar ao ambiente de acolhida

Cada dia, um dia de graça

“Isto me fez muito bem. Eu voltarei… Eu poderia ter desmoronado… Já estive aqui muitas vezes. Aqui posso ficar em paz e me reabastecer.”

Foram estes os ecos que Irmã M. Annjetta Hirscher ouviu após os dias de oásis, que ela acompanhou na Casa do de Encontros, na Liebfrauenhöhe, na Alemanha, nos dias 16 e17 fevereiro de 2018, em que foram refletidos os seguintes pontos:

♥   Manter a interioridade no dia-a-dia

♥   Procurar respirar

♥   Livrar-se da sobrecarga

♥   Aguçar o olhar para o essencial

♥   Treinar o soltar-se

♥   Andar passo a passo num caminho interior

♥   Abrir-se para a Palavra de Deus

Por meio de motivações e intercâmbios, pela oportunidade de confissão, tempos de silêncio e de orações, os participantes foram introduzidos no profundo tempo quaresmal. A oração do ofertório, dessa quarta feira de cinzas diz:

“Senhor Jesus Cristo, concede-nos a conversão e ajuda-nos a realizar ações de penitências e de amor, para que não nos rendamos às nossas más inclinações. Purifica-nos dos pecados e torna-nos capazes de ir, com grande dedicação, ao encontro das celebrações dos sofrimentos do Senhor Jesus Cristo…”

Como fez bem, vivenciar de novo, que cada pessoa é preciosa, pois ela possui uma alma imortal. Cada pessoa é uma unicidade, traz em si a marca “feita por Deus”.

Na oração final no Santuário

Uma senhora que havia retirado um cartão com mensagem, expressou bem feliz: “Estive em uma clínica em tratamento e lá sempre de novo me diziam: Você é única (original). Isto agora me foi confirmado. No meu cartão está escrito: ‘Porque eu sou única’.”

Se a nossa vida estivesse somente no início, teria valido a pena. Depende somente que comecemos sempre de novo. Os participantes aproveitaram esta chance. Cada dia é um dia de graça.