20.12.2017

Maria estende o “Manto de Misericórdia” sobre Porto Rico

de Ir. M. Victoria Heiderscheidt, Puerto Rico

“No dia 20 de setembro, o mundo que era familiar desapareceu – casas ruíram, ruas desapareceram, aldeias inteiras foram inundadas por rios e torrentes de lodo isolaram regiões do interior. Não havia energia elétrica, não havia água, não havia comunicações. Passávamos 11 horas na fila, só para comprar um pouco de gelo, a fim de conservar os medicamentos de nosso vizinho a baixa temperatura”, relata Maria Rangel. no dia 3 de outubro de 2017 no jornal porto-riquenho “El Nuevo Día“.

Estas palavras dão uma ideia da  “impiedosa destruição“ causada pelo furacão “Maria” na ilha de Porto Rico. Durante esse período e nos meses que seguiram, as Irmãs de Maria de Schoenstatt puderam ajudar de muitas formas. Nossa Senhora a estender seu “Manto de Misericórdia” sobre Porto Rico e o seu povo.

Primeiros socorros na zona mais afetada pela catástrofe

Durante o furacão, muitas pessoas puderam refugiar-se no Centro de Schoenstatt, entre elas uma família numerosa, com uma criança de dois anos de idade e os avós. Visto que a casa dispõe de uma fonte própria e de um sistema de tratamento de água, as Irmãs puderam disponibilizar água limpa, enquanto outras fontes estavam contaminadas, devido à erosão do solo e às torrentes de lodo nas montanhas. Diariamente, as Irmãs levavam às pessoas idosas da vizinhança uma abundante refeição quente. Quando as ruas foram libertadas e se podia adquirir combustível, as Irmãs ajudaram a distribuir ajuda aos necessitados, sobretudo aos que vinham das montanhas. Tratava-se, entre outros, de água, alimentos, artigos de higiene, medicamentos que não exigem receita médica, lanternas, baterias, pequenos fogareiros a óleo ou a gás para cozinhar, vestuário e repelentes contra picadas de insetos. As Irmãs também tiveram a grande alegria de oferecer o café da manhã para 500 estudantes de uma sucursal da Universidade Católica. Muitos estudantes não dispunham de alimentos para uma refeição diária.

O Santuário de Schoenstatt como refúgio espiritual

Além da ajuda material, as Irmãs também puderam oferecer às pessoas um refúgio espiritual: o Santuário de Schoenstatt e a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt foram para muitos uma fonte de forças. Alguns chegavam em lágrimas, outros mergulhados em dor silenciosa. Os que há semanas não tinham possibilidade de comunicação com seus parentes, vinham confiar a Maria suas famílias e seus amigos. A primeira senhora, que desceu as ruas esburacadas até ao nosso Santuário, pediu a Nossa Senhora que a ajudasse a encontrar auxílio, porque no seu desespero as pessoas bebiam a água da chuva poluída.

“Um advento de esperança”

No sábado, 2 de dezembro de 2017, mais de 100 pessoas participaram de um dia de retiro, junto ao nosso Santuário, sob o tema “Um advento de esperança”. Irmã M. Elena Lugo, palestrante principal, apresentou uma reflexão sobre a esperança em momentos de desespero.

Hoje, quase três meses após o furacão, muitas pessoas ainda sofrem e trazem ao Santuário a sua dor e a sua aflição. Mas, muitos vêm também com o coração repleto de gratidão, pelos milagres que Nossa Senhora realizou neles e suas famílias a partir do Santuário. As Irmãs de Maria de Schoenstatt, em Porto Rico, também estão gratas por poderem ajudar à Mãe de Deus a realizar a missão de seu “Santuário da Solidariedade”, prestando auxílio material e espiritual a tantos necessitados. Irmã M. Sophy Ann Rivera resume assim suas vivências: “É uma bênção poder viver em profunda solidariedade com as pessoas do meu país”.