17.12.2017

O que têm em comum uma violeta e uma calefação?

de Ir. M. Linda Wegerer, Alemanha

As postulantes que de 13 a 15 de novembro de 2017 estiveram reunidas na casa de formação Marienland em Berg Schoenstatt ocuparam-se com esta pergunta. As cinco jovens provenientes da Alemanha, da Hungria, da Áustria e das Filipinas iniciaram seu postulantado em agosto, em Schoenstatt. Esse período permite-lhes fortalecer a sua decisão de serem Irmãs de Maria de Schoenstatt e de conhecer mais de perto a comunidade.

 

Busca de vestígios no dia a dia

Uma e outra são uma mensagem de Deus, responderam as postulantes à pergunta acima citada. A calefação transmite algo do “cálido amor” de Deus. E a plantinha evoca o desejo de Deus que floresçamos e demos frutos.

É apaixonante e corresponde inteiramente ao espírito do Fundador, Padre Kentenich, descobrir a Providência amorosa de Deus na própria vida. Seguir os seus ensinamentos significa descobrir os vestígios de Deus não somente nos grandes acontecimentos da vida, mas na normalidade do quotidiano. Os sentidos e a sensibilidade, quando aguçados, falam de Deus através de todas as coisas. Ao percorrerem a casa de formação nesta perspectiva, as postulantes descobriram sempre novas mensagens de Deus.

Descobrir a Providência de Deus na própria vida

Não seria bonito partilhar como a Providência de Deus conduziu cada uma ao Santuário de Schoenstatt? A proposta foi aceita com alegria. Porque as histórias de vida são mais interessantes que qualquer outra coisa. Hazel, Verena, Orsi, Maria e Lea contam numa noite no confortável quarto dedicado à Floresta Negra as suas experiências.

Para uma delas, o primeiro encontro com Schoenstatt como lugar de graças foi tão marcante que logo reconheceu a sua vocação de Irmã de Maria. A outra cresceu, por assim dizer, com o Santuário. Mas todas sabem que o lar que encontraram em Schoenstatt é o solo que alimenta sua vocação. Confiantes na aliança de amor com a Mãe de Deus querem agora seguir os seus caminhos na comunidade das Irmãs de Maria de Schoenstatt.

Apostolado vivido

A casa de formação Marienland mostra com evidência que as Irmãs de Maria são uma comunidade apostólica, como todas as postulantes veem. A casa está marcada pelos ramos femininos que aqui encontraram o seu lar. Aqui não é necessário memorizar teoricamente a estrutura de Schoenstatt porque ela pode ser vivenciada.

Irmã M. Margarete que trabalha há 32 anos no Movimento de Schoenstatt de Senhoras e Mãe é uma boa fonte de informações sobre este assunto. Sua secretaria está cheia de caixas porque como todos os anos nesta época há que enviar dezenas de milhares de artigos. Mas é justamente neste ambiente que Irmã Margarete se sente bem.

“Não pensem que eu fico amargurada aqui. Eu amo este trabalho. É o meu apostolado de Schoenstatt”, diz às postulantes. E elas vivenciam que Irmã Margarete tem sempre em vista as pessoas concretas. Deixam a secretaria interior e exteriormente enriquecidas.

Estes dias de formação sobre as mensagens fundamentais de Schoenstatt passam rapidamente. Concluem com uma gratidão maior pela própria fé e pelo reconhecimento da vontade de Deus de nos ver florir.