17.12.2017

25 Irmãs de Maria de Schoenstatt em Kaliningrado/Rússia

de Irmã M. Andrea Lisdat, Alemanha

Em outubro de 2017, as Irmãs de Maria de Schoenstatt celebraram o jubileu de 25 anos de seu trabalho missionário em Kalilingrado/Rússia. Nessa ocasião, a superiora provincial Irmã Marisa Spickers visitou pela primeira vez as duas irmãs em Kalilingrado, Irmã M. Angele e Irmã M. Gisela.

 

A missão confiada pelo fundador de Schoenstatt

No outono de 2017, a mídia se focalizou mais intensamente na Rússia. Há 100 anos que a Revolução de Outubro abrira caminho ao comunismo. Deus foi arrancado dos corações de inteiras gerações e as pessoas desvincularam-se também entre elas. Sofremos até hoje as consequências desse processo. Padre Kentenich, o Fundador de Schoenstatt reconheceu nestes fatos um chamado de Deus e em 1945 confiou às Irmãs de Maria de Schoenstatt residentes nas regiões da Alemanha que se encontravam sob a ocupação russa, a missão de levar a Nossa Senhora ao leste europeu – a fim de contribuírem para o renascimento de Cristo nos corações.

As Irmãs de Maria de Schoenstatt em Kaliningrado

As mudanças políticas na Polônia proporcionaram à Igreja católica um novo início nas regiões marcadas pelo comunismo. Em setembro de 1992, Irmã M. Stella e Irmã Mariana partiram a fim de assumirem sua missão em Kalilingrado. Seu serviço era necessário com urgência para a edificação da comunidade católica: preparação das celebrações, preparação para o batismo, visitas domiciliares, trabalho com crianças, distribuição de donativos e muitas outras coisas mais. A pequena comunidade em Kalilingrado e em outros lugares cresceu. Há 25 anos que várias irmãs prestam seus serviços durante períodos mais ou menos longos em Kalilingrado.

25 anos de empenho concreto

O centro da comunidade tem um perfil definido: uma igreja de madeira bastante ampla e belamente configurada, da qual dimana um clima de religiosidade, constitui com seus anexos o ponto central. Ao redor da igreja foi construído com containers e elementos muito simples um centro completo: cozinha popular onde são atendidas diariamente entre 80 e 100 pessoas carentes, depósitos de roupas, salas para encontros, oficinas, um refeitório para moradores de rua e um pronto atendimento onde muitos recebem o auxílio mais necessário. O trabalho que as irmãs ali realizam em contato direto com as pessoas irmãs é exigente e difícil devido ao ambiente totalmente ateu.

Através de sua atividade pastoral, as irmãs procuram transmitir a fé, despertando nas pessoas a consciência de seu valor e de sua dignidade. No trabalho social visam, além disso, oferecer ajuda existencial às pessoas carentes.

Motivo para agradecer e olhar o futuro

Ao celebrarem com a paróquia „Sagrada Família“ este jubileu, no início de outubro, as irmãs se alegraram e se admiraram com tudo o que surgiu e se desenvolveu, ano após ano, a partir dos mais pequenos inícios. Tudo é motivo para agradecer a Deus e a todas as pessoas que ajudaram.

Irmã Marisa encontrou e vivenciou ali uma comunidade viva. As irmãs construíram um oásis em que Nossa Senhora atua, oferecendo a todos um lar, crescimento na fé, segurança e a consciência de dignidade que haviam perdido devido às circunstâncias desfavoráveis. O trabalho pastoral é realizado no espírito de Schoenstatt. No discurso que pronunciou durante as festividades, Irmã M. Gisela citou exemplos concretos neste sentido, como por exemplo, o apostolado da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt que visita as famílias. A pequena celebração no salão da comunidade proporcionou ocasiões para valiosos encontros e um vivo intercâmbio. No final das celebrações, Irmã Marisa agradeceu a todos os membros da comunidade pela configuração das festividades, pela ajuda prestada às irmãs e pelo empenho comum pelas pessoas concretas e em ultima análise pela Igreja.

As irmãs estão gratas por todo o interesse e todo o apoio que receberam ao longo dos muitos anos de sua atividade. Muitas coisas não teriam sido possíveis sem uma ajuda concreta, sem os generosos donativos. A vida em Kalilingrado traz muitos desafios que as irmãs enfrentam com consciência de missão para que nos próximos 25 anos a Mãe de Deus possa fortalecer a fé nos corações e os projetos iniciados se possam realizar.

Para as Irmãs de Maria em Kalilingrado foi um sinal eloquente do céu Irmã M. Huberte que em novembro de 1992 estava entre as primeiras a partir para Kalilingrado e ali trabalhou durante muitos anos com grande amor e empenho ter sido chamada à eternidade no período das celebrações jubilares.