29.01.2018

O Papa no Chile – Dias de “Dilexit Ecclesiam”

de Sr. M. Jimena Alliende, Chile

O Papa Francisco visitou o Chile, de 15 e 18 de janeiro. Na principal Santa Missa, num grande parque central em Santiago, nós, Irmãs de Maria, recebemos a responsabilidade pelos serviços da sacristia para o Santo Padre e toda equipe integrada por 14 bispos e sacerdotes e diáconos. Preparamos na grande tenda, um lugar com a imagem da Mãe Três Vezes Admirável. Algumas Irmãs também participaram do coro, formado por sacerdotes, religiosas e consagrados em geral, que cantou no encontro do Papa Francisco com os consagrados, na catedral.

Ir. M. Beatriz relata:

Há alguns meses chegou-nos o pedido para nossa comunidade ajudar nas funções da sacristia, onde os celebrantes se paramentam, na Santa Missa que se realizaria no Parque O’higgins, em Santiago.

Todas as sacristãs – 9 Irmãs puderam estar no Parque O’Higgins, dias antes da Santa Missa, para receber orientações, percorrer e conhecer o recinto e, especialmente, para colocar “mãos à obra” em diferentes atividades que podíamos realizar. É uma experiência muito bela, cada uma disposta a fazer e a colaborar em tudo o que se necessitava, desde os arranjos dos vasos, passar, arrumar, preocupar-se de levar uma jarra de suco ou alimentos para os guardas, para os organizadores, sacerdotes, seminaristas.

Para mim, esses dias foram uma grande vivência de Igreja. Poder colaborar tão concretamente e fazer isso em nome da nossa Família de Irmãs foi um imenso dom. Senti uma profunda gratidão e alegria ao ver uma Igreja viva, alegre, esperançosa, repleta de vida e de motivação. Muitos leigos fizeram um serviço voluntário, generoso e desinteressado nesta visita do Santo Padre em nosso país. São pessoas capacitadas profissionalmente, que colocaram a serviço da Igreja. Nos diferentes grupos de guardas, que nos acompanharam e cuidaram da segurança local, encontramos pessoas abertas ao religioso, para as quais o ambiente no qual foram mergulhadas foi novamente um chamado de Deus para aproximar-se da Igreja, como nos disse um deles; outros simplesmente se aproximavam para conversar, contar de suas famílias, do que estavam vivendo, mais do que um trabalho, para eles também foi uma honra poder estar ali.

Foi um grande presente de Deus poder saudar o santo Padre, na chegada à sacristia. Naturalmente, nós o esperamos, como todos aqueles que estavam neste setor, e ele, por própria iniciativa, se dirigiu todos nós que o rodeávamos e nos saudou. Todas tínhamos o desejo secreto no coração de poder saudá-lo, mas não sabíamos se isto se tornaria realidade ou não. O santo Padre, quando nos foi saudando, nos disse: “Estas são as que se vestem de monjas, mas não o são… e muito obrigado por todo serviço das senhoras na Igreja”. Assim vivemos um momento de grande alegria, nos sentimos plenamente identificadas e bem abençoadas.

Fotos das Irmãs trabalhando na sacristia