10.12.2017

Um quarto tchecoslovaco no novo Centro de Schoenstatt Belmonte

de Ir. M. Václava Horáková, Rokole, República Checa

“Aceito com alegria e imediatamente este presente!” disse o Padre Kentenich a Dom Tenhumberg no ano de 1965, quando ele lhe contou a oferta da Presidência Internacional da Obra de Schoenstatt, de construir um Santuário e um centro em Roma. É o que ele agora, certamente, também diz à sua Família de Schoenstatt tcheca que, como tantos outros países apoia financeiramente o recém aberto Centro Belmonte e está elaborando uma configuração típica da sua terra para o quarto checoslovaco. Para as Irmãs de Maria na Tchecoslováquia é uma grande alegria poderem participar com alguns símbolos desta iniciativa.

O Menino Jesus de Praga

O Menino Jesus de Praga é uma importante característica da identidade tcheca. A imagem de graças original encontra-se em Praga. Uma reprodução do Menino Jesus, que durante anos permaneceu no Santuário de Schoenstatt na Boémia do Nordeste (Santuário Belém), já obteve o seu lugar no Centro Belmonte em 2006.

Crucifixo e imagem de Maria

Outros símbolos para o quarto checoslovaco são um crucifixo e a imagem da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, que neste momento se encontram ainda na Casa Central em Rokole. O crucifixo foi esculpido segundo uma representação do célebre escultor checo Josef Václav Myslbek. Expressa de modo singular a entrega de Jesus na cruz por amor à humanidade.

A moldura da imagem de Maria relata a história

Na moldura da imagem de Maria está representada a história do Movimento de Schoenstatt tcheco, que está estreitamente entrelaçada com a história das Irmãs de Maria no país. Na parte superior da moldura, vê-se a coroa de Venceslau, com a qual foram coroados todos os reis tchecos. Além deste, veem-se também as duas torres da basílica em Velehrad, onde atuaram Cirilo e Metódio, os apóstolos dos eslavos. Em 1985, o Movimento de Schoenstatt tcheco coroou Nossa Senhora nesta Basílica, como Rainha da Morávia.

Estão ainda representados na moldura o Santuário Original e a antiga Capelinha em Rokole, onde, em 11 de agosto de 1939, os primeiros sacerdotes checos selaram a Aliança de Amor com Nossa Senhora. A partir de então, Rokole tornou-se o berço do Movimento de Schoenstatt na antiga Tchecoslováquia. Ao lado da capela, jorra uma fonte com água medicinal que simboliza as graças. O difícil período do totalitarismo e da perseguição, durante o regime socialista, está representado por meio da grade de uma prisão. Naquele período, sacerdotes de Schoenstatt, Irmãs de Maria e também alguns membros do Movimento de Schoenstatt foram presos por causa de sua fé.

Do lado oposto da moldura encontra-se o símbolo dos novos tempos, o Santuário Belém em Rokole e o logotipo do Centro Belmonte dargestellt. Espigas de trigo, como símbolo da semeadura e das primícias representam a primeira geração fundadora de Schoenstatt na Tchecoslováquia. Folhas de tília evocam a tília como a árvore nacional tcheca. As folhas em forma de coração expressam a missão específica da Família de Schoenstatt tcheca: ser família, criar vínculos e unir todas as pessoas no amor.

A delegação tcheca leva os símbolos a Roma

A cruz e a imagem de Maria com sua moldura tão rica em símbolos serão levados a Roma em setembro de 2018, por uma delegação tcheca. “Aguardamos com alegria o dia em que os símbolos serão levados ao coração da Igreja…” afirmou Irmã  M. Magdaléna das Irmãs de Maria de Schoenstatt na Tchecolslováquia.