04.09.2019

Ser pequena Maria e renovar o mundo …

de Ir. Mariana de Souza Almeida

pela “pastoral do ambiente”

Há muitas formas de uma Irmã de Maria ajudar a Mãe de Deus, na transformação do mundo, por meio do Santuário. Cada dom pessoal é considerado um presente de Deus para o Instituto, que faz colabora para que a Irmã o desenvolva o máximo possível. Quem convive com a Irmã Mariana de Souza Almeida tem junto de si uma pessoa que irradia alegria e esparge bênçãos. O tamanho pequeno de sua estatura guarda um coração que abrange o infinito e uma serviçalidade admirável, que, com muito talento administrativo e logístico, deixa o imenso âmbito da casa provincial sempre limpo e ordenado.

Irmã Mariana de Souza Almeida nos fala:

Minha tarefa combina comigo!

Há 14 anos percorro um caminho de bênçãos como Irmã de Maria de Schoenstatt! A vocação não é algo que Deus nos dá pronto: a vocação é decisão de cada dia! Ela vai se concretizando na vida consagrada que assumimos, na oração e entrega a Deus, na doação ao próximo e também em uma tarefa, que é a missão que o bom Deus nos confia por meio dos superiores da Comunidade.

Desde que ingressei no Instituto, realizei diversas tarefas em nossas casas. Atualmente, trabalho em nossa Casa Provincial e tenho a administração de toda a casa e a lavanderia. Gosto muito da minha tarefa! Diferente do que à primeira vista se possa pensar: “Nossa, ela deixou tanta coisa, e se consagrou para fazer algo que podia fazer também em sua casa, junto de sua família que tanto ama!” Nada disso! A minha tarefa combina muito bem comigo e vai muito ao encontro da minha natureza. Isto a torna leve e agradável!

Todas estamos a serviço de nossa Família

Quando pensamos numa Irmã, lembramos em primeiro lugar daquela que atua em uma Paróquia, escola, hospital, que se doa para ajudar pessoas necessitadas nas ruas ou abrigos. Mas, há muitos modos de realizar a vocação como Irmã de Maria de Schoenstatt. Nossa vida comunitária necessita também daquelas que atuam no apostolado de modo indireto, realizando trabalhos internos a serviço da própria comunidade. Este apostolado pode se tornar tão fecundo quanto o daquelas que atuam diretamente com as pessoas. Todas estamos a serviço de nossa Família e podemos aprender, ajudar e crescer muito umas com as outras na convivência fraterna.

Preparo o ambiente: cultivo vínculos!

Neste tempo, em que, infelizmente, os vínculos são tão superficiais e o contato pessoal é algo raro, minha tarefa me possibilita realizar a “pastoral do ambiente”. Apesar de tudo o que esta era digital nos proporciona, faz muito bem para cada Irmã receber um quarto bem limpo e arrumado, por exemplo, com um vasinho de flores sobre a mesa. Quando preparo o quarto para alguém, penso em coisas que combinam com ela e que podem lhe causar alegria. Como é bom chegar em casa e encontrar um ambiente limpo e arrumado! São detalhes que muitas vezes podem passar despercebidos, na correria do dia a dia. Mas, eles são pessoais e importantes.

Maria proporcionou lar

Penso que a Mãe de Deus também atuou assim. Sabemos que logo após o anuncio do anjo, ela foi apressada ajudar sua prima e lá preparou tudo o que ela necessitava. Com certeza, São José e Jesus também podiam experimentar esta alegria tão natural de um lar. Quando retornavam para casa, cansados depois de um dia de trabalho, lá estava a Mãe de Deus os esperando com tudo o que necessitavam: uma boa comida, roupas lavadas, a casa arrumada etc.

Posso ser uma pequena Maria!

É por isso que me alegro com minha tarefa, pois posso ser uma ‘pequena Maria’, a exemplo da grande Maria, que está sempre a cuidar e a preparar o melhor para seus filhos. No meu trabalho, não lavo, limpo e arrumo às pressas e de qualquer jeito. Há uma forma mariana de fazer tudo isso. Mesmo naquilo que é tão pequeno, despercebido e simples, em tudo o que faço, me empenho para fazer transparecer o ser e o amor de Maria. Assim, minha tarefa, que aparentemente parece ser tão simples, ganha um grande sentido, pois unida a Mãe de Deus e ao seu Filho, ofereço meu trabalho diário para a renovação das almas e a renovação do mundo, especialmente por cada pessoa que, em grandes aflições e sem esperanças, recorrem à Mãe de Deus, em seus Santuários.